quinta-feira, 1 de outubro de 2009


Esta imagem de início não nos diz nada, a não ser um monte de quadradinhos coloridos, alguns ligados por linhas. Mas ao entrar no site , podemos perceber um trabalho colaborativo, onde pessoas gravam suas mensagens via telefone, que ficam expostas a quem quiser ouvi-las. É uma forma interessante de expressar-se artisticamente através da tecnologia, pois envolve som, imagem, que são construídas em coletivo, assim como tudo que é feito na web.Porque não lembrar dos softwares livres? Eles que dão apoio a esse tipo de arte e são distribuídos de graça a quem quiser, ou melhor, quem tiver acesso a um computador com internet. Mas isso hoje em dia não é difícil, graças a essas ferramentas, os softwares que são implantados em computadores por um baixíssimo custo para o governo, podemos encontrar internet em qualquer escola pública, e elas são obrigadas a permitir que qualquer um tenha acesso.

Internet: espaço de criação

Navegar na internet é um vício, principalmente para quem gosta de novidade. Ela é cheia de surpresas que a cada instante descobrimos. Também é o espaço ideal para quem gosta de criar, por exemplo, pode-se criar um site usando programas que estão disponíveis gratuitamente na web. Não é uma tarefa muito fácil para quem nunca teve contato com esse meio, mas com um esforço é possível fazer. Só de imaginar que se pode colocar suas idéias para que o mundo todo veja é incrível! E há muitas utilidades nesse serviço, muita gente usa sites para expor suas causas que são a de todos, como por exemplo, combate à pedofilia, preservação ao meio ambiente, etc. São incontáveis os sites benéficos que se pode encontrar. Porém também existem os maléficos, pois sempre há uma parte boa e uma ruim em qualquer coisa. Mas para quem sabe usufruir bem desses recursos sempre tem grande ganho de conhecimentos.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

domingo, 20 de setembro de 2009


O Computador e a música

No campo musical, igualmente o uso do computador está cada vez mais se aprimorando. A nova tecnologia possibilita ao músico inúmeras opções para profissionalização, abrindo assim novos campos de trabalho.
Segundo Moore - professor do departamento de música da Universidade da Califórnia - o primeiro trabalho produzido por computadores advém da década de 50 e era centrado na utilização de computadores para compor música. Na música, o uso do computador tem cada vez mais firmado seu espaço, obrigando o músico - que antes dedicava ao seu instrumento musical horas de estudo - a dividir seu tempo no aprendizado de uma nova forma de demonstrar sua arte. Tudo que se faz no computador para/com música pode ser ouvido imediatamente, seja no campo da composição – ouvir o que se compõe - ou no plano dos efeitos de áudio. O uso da eletrônica na música iniciou-se com objetivo de amplificar o som. Mais tarde criou-se dispositivos para também gravar e reproduzir, juntamente aconteciam experiências para se gerar som através dos osciladores eletrônicos. Após algumas décadas do uso da eletrônica na música, surge o computador também para essa finalidade. Nessa época uma polêmica com relação ao uso de computadores e sintetizadores em música começou a existir. Muitos músicos passaram a defender os instrumentos acústicos e a atacar os usuários de sintetizadores. Entretanto, se as críticas são pesadas, não se pode negar que uma das maiores vantagens dos instrumentos denominados digitais é a manutenção da afinação. A medida em que foram incorporados mais circuitos digitais nos sintetizadores outras novidades foram sendo implantadas, como o MIDI. O sistema MIDI usa códigos digitais que carregam informações musicais como: notas musicais, volume, troca de timbres, acionamento pedais e outros; e também informações não digitais como configurações de equipamentos de estúdio. O MIDI até propiciou o surgimento de músicos de computador, antes incapazes de fazer música utilizando instrumentos musicais convencionais e suas respectivas ferramentas. Não há atualmente, condições de se operar programas de computador para música, se o usuário não possuir um conhecimento musical. Notamos, é que esse grau de conhecimento é variável e afeta o resultado final do trabalho proposto, ou seja, quanto mais competente e especializado o músico, melhor o resultado final. O computador é apenas mais uma ferramenta que o músico dispõe para sua música. Além de todo conhecimento e execução musical, o usuário depende de certas informações técnicas, próprias da linguagem computacional, para poder prosseguir seu trabalho como, por exemplo, manipular um arquivo, configurar uma impressora, ajustar os canais de MIDI corretamente e outros. Nos últimos anos houve uma sensível transformação na prática musical a partir da aparição dessas novas tecnologias. A música por computador está intimamente ligada a novas formas de criação musical. O estúdio, os sintetizadores e o computador estão muito ligados a um aspecto da música por computador que podemos destacar o áudio, ou seja, a parte da música ligada à manipulação do som. Os programas de áudio são dotados de recursos gráficos para a visualização da edição e gravação das músicas. Os amadores ou semi-profissionais são usuários que possuem seu próprio estúdio em casa e utilizam programas mais baratos. Atualmente, esses usuários contam com a facilidade de se obter softwares. Muitas revistas vêm com CDs cheios de programas e também pela Internet há acesso a uma infinidade de versões de demonstração de softwares. Os profissionais são operadores de grandes estúdios que utilizam programas altamente especializado e, portanto, onerosos. Muitos estúdios profissionais atuais já estão substituindo toda sua tecnologia analógica pela digital, devido a alta precisão dos programas disponíveis no mercado. Cada instrumento tem sua especificidade e apenas um músico é capaz de compreendê-las. Para o perfeito aproveitamento houve a necessidade de encontrar um profissional que aliasse a técnica, a estética e a música. Esse profissional é denominado de o produtor musical, um misto de engenheiro de som, músico e planejador de marketing. Com a maior utilização dos computadores multimídia na vida cotidiana, também o campo de trabalho para o músico aumentou, além de atuar em estúdios de gravação, pode atuar também no setor de composição de trilhas para internet e cdroms. Outro campo em que o músico pode atuar é o de edição de partituras. Além de escrever seu próprio trabalho no editor, pode ainda oferecer serviços de digitação de partituras como copista e trabalhando em editoras musicais. Existem muitos softwares que servem para a notação musical (Encore, Finale, Personal Composer, QuickScore e outros), porém cada um usa seu formato de arquivo, o que impede o intercâmbio de arquivos de música. Porém como as pesquisas nessa área não cessam e recentemente foi criado um padrão para arquivos de notação musical bastante flexível. Este padrão é chamado de NIFF ("Notation Interchange File Format") e permite o intercâmbio de softwares de edição de partituras e de softwares tipo Midiscan. Ele pode representar desde partituras simples, com poucas informações gráficas, até descrições bem mais elaboradas, como layout de páginas e informações MIDI, como a transferência de uma partitura scanneada com informações MIDI. Podemos pensar que o músico dispõe de outros recursos que o computador oferece para composição de sua obra. Estamos nos referindo ao tipo de composição muito utilizado atualmente que se refere à digitalização do som como amostragem, os samplers. Essas composições têm como principio à inserção de trechos – pequenos ou não – organizados de acordo com a criatividade do músico operador, vindos de gravações já pré-existentes. Esses trechos podem ser manipulados com distorções, repetições e outros recursos, e também podem ser usadas como foram concebidas primeiramente. Esse tipo de composição coletiva - chamado de música tecno - é o mesmo princípio apontado por Pierre Lévy no seu conceito de cibercultura. Segundo Lévy, cibercultura significa o conjunto de técnicas materiais e intelectuais, de práticas, de atitudes, de modos de pensamento e de valores que se desenvolvem juntamente com o crescimento do ciberespaço. Por sua vez, o ciberespaço é mais conhecido por rede, significa novo meio de comunicação que surge da interconexão mundial dos computadores. Através da internet, a troca de arquivos musicais tem se expandido. O usuário dainternet também pode criar e manipular o som que chega até ele em sua casa. Sabe-se que atualmente há grupos que produzem músicas a partir de retalhos transmitidos pela rede. Nesse caso o que é mais complicado é a questão do direito autoral, entretanto de acordo com as pesquisas, os usuários não se intimidam com esse problema, ao contrário, é justamente pela não legalização que estão dispostos a criar e compilar as obras. Como conclusões observamos que a informática em música está em constante desenvolvimento. Notamos a cada dia inovações, e também aperfeiçoamento dos dispositivos já existentes. Percebemos também, que o músico necessita de uma gama de informações para que a música seja veiculada ao computador. Em contrapartida, essas informações permitem novas formas de criação da sua arte. Ainda notamos, que as novas possibilidades tecnológicas colaboram para o surgimento de novas profissões que podem ser exercidas por ele.



sábado, 5 de setembro de 2009

Site Edu Musical


Essa imagem mostra a interface do portal Edu Musical.

Trata-se de um site que ensina música englobando tecnologia e diversão. É uma ótima proposta pedagógica a ser trabalhada por professores em suas salas de aula.

Para que

m se interessou, aqui vai também o endereço: http://www.edumusical.org.br/

Vídeo Educação e Tecnologia

video

sábado, 22 de agosto de 2009

Kid Vinil

Zeca Baleiro
Kid Vinil quando é que tu vai gravar cd

Kid Vinil quando é que tu vai gravar cd

Tecnologia existe

Pra salvar o homem do fim

Se você estiver triste

Delete a tristeza assim

E se quiser conversar

Passe um fax pra mim

Time is money god is dead

Have you a nice dream

Acessando a internet

Você chega ao coração

Da humanidade inteira

Sem tirar os pés do chão

reza o pai-nosso em hebraico

filosofa em alemão

Descobre porque que o michal

Deu chilique na televisão

Milhares de megabytes

Abatendo a solidão

Com a graça de Bill Gates

Salve a globolização

Se homem já foi a lua

Vai pegar o sol com a mão

Basta comprar um pc

E aprender o abc da informatização

Música: A evolução da tecnologia

Marco Aurélio Scheid
1. A evolução da tecnologia,
é necessário coloca-la em prática,
esquecer a velha máquina dos
teléc-trec-tre-telec-trec

Refrão: Olha a evolução, a evolução, a evolução!
Senão o tempo passa e você fica na mão.

2. Esqueça tudo o que é passado,
agora no supermercado
a calculadora apita fazendo
pip-pip-pip-piripiripipip

3. Quando foi inventado,
O celular era um tijolão.
Hoje já tem até
do tamanho de um botão!

video

A Rede

Esta revista é uma ótima fonte de pesquisas sobre a tecnologia e a sociedade

http://www.arede.inf.br/inclusao/

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Site recria viagem para Lua em tempo real


Projeto vai misturar áudios e imagens originais com animações para fazer os internautas reviverem a emoção da chegada do homem à Lua, há 40 anos
Renan Dissenha Fagundes




O projeto vai acompanhar o desenvolvimento da missão em 11 estágios, do pré-lançamento (o atual estágio um), até o módulo lunar aterrisar e Neil Armstrong ser o primeiro a andar na LuaHá quase 40 anos, no dia 20 de julho de 1969, o astronauta americano Neil Armstrong, comandante da missão Apollo 11, foi o primeiro homem a pisar na superfície da Lua. Estima-se que mais de 500 milhões de pessoas em todo o mundo tenham assistido à chegada do módulo lunar e aos primeiros passos dos astronautas, transmitidos ao vivo pela televisão, a maior audiência registrada até então. Agora, um projeto pretende recriar toda a viagem da Apollo 11 - desta vez na internet. Usando fotos e vídeos históricos, animações e posts em redes sociais - como o Twitter e o Facebook -, o site We Choose The Moon (Nós escolhemos a Lua, em inglês) vai permitir que internautas de todo o mundo acompanhem a missão como se ela estivesse ocorrendo agora. O projeto foi criado pelo Museu e Biblioteca Presidencial John F. Kennedy como parte das comemorações dos 40 anos da chegada do homem à Lua. Por enquanto, o site conta com galerias de fotos e vídeos da espaçonave ainda em Terra e dos astronautas treinando e em momentos do cotidiano pré-lançamento, além de imagens de Kennedy. Embora o presidente dos Estados Unidos em 1969 fosse Richard Nixon, foi Kennedy, em 1961, que prometeu ao povo americano que seus astronautas chegariam à Lua ainda naquela década.


Na quinta-feira (17), às 10:30 da manhã (horário de Brasília) a Apollo 11 digital será lançada, mesmo horário em que a nave realmente saiu de Cabo Canaveral em 1969, e a partir de então os internautas poderão acompanhar a missão em tempo real, com transmissões de áudio originais das conversas entre os astronautas e a Nasa e posts no microblog Twitter, desde a contagem regressiva até a caminhada de Armstrong na Lua, com direito a animações recriando os principais momentos da missão.O nome do site foi retirado de um discurso que Kennedy fez em 1962: "Nós escolhemos ir para a Lua nesta década a fazer as outras coisas, não porque isso é fácil, mas porque é difícil", afirmou o então presidente dos EUA. Thomas Putnam, diretor da Biblioteca JFK, espera que o site inspire as pessoas. "Colocar um homem na Lua realmente uniu o planeta", disse ao jornal Boston Herald. "Esperamos usar a internet para fazer a mesma coisa".

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI82264-15224,00.html